Things happend for a reason.

As pessoas nunca dizem o que devem dizer. Escondem sempre o que deve ser dito por detrás de palavras que amenizam a dor, a desilusão e a mágoa de quem precisa de ouvir. É defeito comum, proteger as pessoas de quem gostamos e nós proprios por vezes mas há alturas em que as verdades não devem ser camufladas.

 Deve-se mostrar o jogo para que não restem duvidas de que assim o é e se assim o é não há nada a fazer. Quando a verdade se esconde, a voz tem por habito sair trémula em vez de firme e convicta. Eu prefiro a verdade, por muito que doa, quero-a sem rodeios.

 Tu não soubeste proteger-te ,não soubeste impedir que o jogo te viciasse, e usas agora a voz trémula numa tentativa de me iludir. I can’t. Tudo o que sei foi o que a tua voz trémula e pardacenta me soube dar. Não procuro a verdade, mas sei que neste jogo há muito que escondes. Tudo o que procuro é mostrar-te que a verdade seria mais facil. Na verdade não restariam duvidas nem pontas soltas para me atormentar.

 A verdade é absoluta e irrefutavel. A mentira é uma segunda via para os que não a querem assumir, mas acaba sempre por vir ao de cima. Sempre. Passem dias, meses ou anos. Ela vem para nos mostrar que nem tudo é o que sonhamos que seja.

 Os teus olhos hoje procuraram-me, e eu nada lhes disse. Esta noite tranco a porta do teu mundo e deito-a fora. Esta noite isolo-te de mim para meu proprio bem. Egoismo não é contudo, intelegencia , pura e simples sem qualquer rodeio.

 Hoje o que restava do meu amor por ti acabou, tenho a lua e o cigarro como testemunha. Não preciso de mais.

publicado por Lébasi às 11:54