...

Já não me compreendes. Já não sabes olhar-me nos olhos ainda que de longe e saber o que penso. Antes sabias. Era bom procurar-te no meio da multidão e ver-te procurar por mim de igual maneira. Dizias estar apaixonado, e eu acreditava em cada palavra tua sem nunca exigir uma prova que fosse.

 Isso mudou. Camuflaste a verdade dizendo que a distância tinha feito com que o sentimento mudasse drasticamente e eu aceitei isso. Podias ter-me dito que tinha aparecido outra pessoa. Podias ter-me contado a verdade e poupado o vazio perfeito ao deparar-me com ela nos teus braços. Não pedia nada mais que a verdade.

 Nada tenho de ti se não o vazio perfeito que deixaste em mim.

 Parece que todos souberem antes de mim, todos olharam para o local que eu não olhei, lançaram-se comentários que eu não percebi. Até que alguém olhou para mim sem saber que palavras usar, vi nos olhos uma inconstância profunda. Penso que não sabia se me havia de abraçar, se dizer algo que me fizesse rir. E eu não vi, eu caminhei ao lado deles, e não vi.

 Agora vejo. Vejo-te mais vezes que o costume e nem sequer procuro por ti. Parece que os nossos caminhos estão sempre cruzados de uma maneira ou de outra. Antes tinha de te perguntar sorrateiramente onde estavas, agora basta-me não procurar por ti para que apareças.

 Toca-la da mesma maneira que me tocavas, os teus beijos devem ter o mesmo sabor e o que mais me magoa é que as tuas palavras são precisamente as mesmas que me deste e que eu guardei ingenuamente. Não procuro vingança, se acreditas verdadeiramente que seria capaz de andar a comentar o que fazes e com quem estás. Não, eu guardo para mim os pensamentos incertos a teu respeito (ela nada me diz).

 Agora quando os nossos olhares se cruzam sou sempre eu a virar costas, sou sempre eu a desviar o olhar não querendo manter acesa uma chama que se extinguiu.

 

“ Se em nada te tornaste, nada serás “

 

E assim é, não chorei por ti de uma maneira inconsolável, ergui-me muito antes de a dor ser amenizada por um qualquer conforto. Não foste um erro nem algo de que me arrependa, foste apenas mais uma lição que eu tive de aprender. Não vou esperar por ti, não tenho de o fazer. Antes bastava um olhar para que me lesses a alma, presumo que tenhas perdido essa capacidade. Deixaste um vazio perfeito. Não me despeço com um adeus , não te quero rever no meu coração. Despeço apenas com um , sê feliz , é assim que te quero .

publicado por Lébasi às 15:22