Caminhos errantes

 

 

Adoro o modo como o teu cabelo te cai sobre o rosto . O modo como o desvias da face é tão simplesmente, teu . Abraça-me, fazes isso por mim ? Puxa-me para ti e envolve o meu corpo nos teus braços. Aconchega-me nos teus braços, quero ouvir o bater do teu coração só mais uma vez. Não me deixes fugir , não agora . Assume o controlo , enrrosca-me e guia-me a teu belo prazer . O meu corpo quer o teu . Não tentes perceber aquilo em que eu estou a pensar , esquece isso . Fecha os olhos , deixa que as luzes se apaguem . Rogo-te , não me deixes fugir novamente . Passa a tua mão pelo meu cabelo e puxa a minha cintura para bem junto da tua . Domina-me , tu sabes como o fazer . Morde-me o pescoço e ignora as palavras que os meus lábios dizem . Ignora , continua . Percorre o meu corpo com a ponta dos teus dedos . Vem, este momento é teu e eu não quero fugir . Sei que tens medo mas eu quero arriscar contigo  . Estou aqui , á tua frente , e não há luz . Não me vou mexer , gosto dos teus beijos no escuro . Os teus olhos brilham de um modo diferente . Não te preocupes com nada mais , tu não me pertences , eu sei que não . Mas estás aqui, eu sinto o calor do teu corpo junto do meu. Beija-me novamente, e agora outra vez , só mais uma vez, é a ultima vez . Chega, e não te preocupes que eu não vou fugir . Escolhi o teu caminho , não sei como será o fim mas digo-te que me vou sentar. Sentei-me, estou mesmo no meio. Não vou andar mais , não enquanto tu não caminhares ao meu lado . Podes voltar para trás , não te deves entitular de cobarde se tal acontecer . São escolhas , eu fiz a minha . O sol já está a nascer . Não me largues , mas também não me abraçes apenas porque eu me sinto segura perto de ti . Preciso de saber , tu queres-me a teu lado ou simplesmente não resistes aos meus lábios? És homem, mas és diferente . Eu sinto-te de maneira diferente , quero-te , aqui , ali , não sei , em qualquer lugar . Tenho medo que voes para outro céu que não este , mas o medo é o que já tantas vezes me fez arriscar . És livre , voa , apenas não me deixes perdida . A alma dói quando se perde na incerteza.

 

" Obrigado , tens sido a calma na turbulência . "

sinto-me:
publicado por Lébasi às 03:46