Eu vou .

Eu vou ficar por aqui a proteger-te. Não deixes que o medo de que eu um dia me vá te domine. Recordaste das nossas noites? Dos telefonemas tardios que davam sentido aos meus dias. Esboçava um sorriso na escola sem precisar de palavras, poderia intitular-te o meu diário vivo. Tu sempre soubeste as minhas histórias rotineiras passadas entre quatro paredes.

 Só não sabias que me tocavas de um modo diferente, não sabias ou fingias não saber. Era a tua voz que eu procurava quando caía, era tudo o que tinha não era? A tua voz, através de um pequeno dispositivo que substituiu a necessidade de as palavras serem soltas enquanto os meus olhos se prendiam nos teus. Eu tenho essa necessidade, preciso de te sussurrar ao ouvido palavras que são sentidas, por muito infantis que possam soar, enquanto tu me lês sem aviso prévio. Eras o meu confidente, tu sabias o que mais ninguém sabia. Não do modo como tu sabias, não na intensidade com que eu contava.

 Eras o portador da minha alma, e não te rias ao leres tal “ artimanha” , Eu via-me em ti, mesmo sem saber. Guardava cada mensagem tua, perdia-me em cada passagem pela tua turma, e morria quando praticamente te seguia até á casa de banho. Passaram-se meses, de tu e eu, de eu e tu – de nós.

 Hoje, és meu. Pertences-me e tenho livre arbítrio para decidir o nosso caminho. Não quero percorrer aquele que já está traçado, já foi percorrido por muitos. Quero vendar-te os olhos, deixas? Não observes o que aí vem, não planeies nem penses. Dá-me a mão e não a largues por muitos buracos e desvios que possam existir neste caminho.

 Eu vou ficar aqui, a esboçar-te um sorriso de cada vez que nos cruzemos mesmo com os olhares que recaiem sobre nós. Irei abraçar-te quando tu precisares que te proteja e amar-te-ei mesmo quando deixares que o teu corpo caia do precipício da vida e apenas o escuro te domine. Quero ser a luz que te aquece, e a mão que te levanta de novo para o raiar do dia.

 Tenho saudades do que fomos, mas agora sei que te pertenço.

tags: ,
sinto-me:
música: Oasis - don't look back
publicado por Lébasi às 12:28