A janela aberta .

 

 

Apaguei a luz como tantas vezes antes. Corri para a cama e enfiei-me por debaixo dos cobertores quentes que a empregada pos na cama. Ainda não começaram as noites de chuva, mas consigo ouvir o vento a embater no vidro da janela. É reconfortante o ruido , pelo menos este . Talvez do hábito.

 Lembro-me de ter puxado o edredon para cima e de ter coberto o corpo todo. Tu sabes que eu tenho medo de escuro, muito mesmo. Só quando estou triste é que consigo apagar as luzes, fechar os estoros e manter-me na escuridão das minhas quatro paredes. Tenho medo do que a escuridão esconde , mas a da minha mente é a que mais me assusta. Encolhi-me o mais que pude , e começei a sentir o teu cheiro por entre os lençois. Por momentos, perdi-me em pensamentos e aconcheguei-me ao vazio onde o teu corpo estivera horas antes. O meu corpo implorou para que tu aparecesses mas nada aconteceu. Sonhos de criança , da criança que sou. Abri os olhos, e prendi o olhar na parede branca da cama. É isto que quero para mim? Uma montanha russa na vida real . Eu só queria poder abraçar-te sempre que tivesse um pouco de medo, poder sentir-me segura . Diz-se que o amor é o melhor sentimento do mundo, disso pouco sei. Sei que quando não te lembras de mim eu choro, choro por raiva a mim mesma . Por me ter tornado escrava de ti . De nós.

 Reviro-me na cama, e oiço um barulho estranho. Aconchego-me o mais que posso, e só tu me vens ao pensamento. O teu sorriso, os teus braços á volta do meu corpo. Passos na minha direcçao, pé ante pé, sem medo de nada. São tão seguros que a ideia de não seres tu me atormenta.

 Pararam, e eu espreitei por entre o édredon e os lençois. Não há nada no quarto. A janela está aberta, um calafrio percorre-me a espinha. E de ti ? Nada sei.

 

Exercicio: 8 minutos de abs, 8 minutos para tonificar as pernas.

Processo: Alimentaçao de 3 em 3 horas , água .

Erros: Uma fatia de salame e duas colheres de baba de camelo ( a avó obrigou-me!)

tags:
publicado por Lébasi às 16:02