Desabafo, para evitar uma discussao .

" E quando a gentji ama é claro que a gentji cuida ."

 

E agora ? Agora que te tenho e descubro que não és o que eu sonhei ? Fugir de nada adianta, mas viver nesta montanha russa não consigo. Não quero, mas eu amo-te . Amo cada sorriso , cada olhar , cada toque , cada palavra que me dás em segredo.

 Mas e o romantismo? Aquelas historias de princesa , aqueles mimos que despertam o sorriso estupido da epiderme do coração ? Para onde foram todos eles ? Perderam-se no tempo, talvez . Eles que voltem, eu nao os quero longe. Nao consigo viver com eles hoje. Não consigo viver sem ti, mas a dor que provocas é tanta. Porque é que desapareces? Porque não ficas? Será que pensas que não tenho saudades?

 

 Choro em segredo, choro longe, onde tu não vejas para lá do sorriso constante que te recebe a cada manhã. Eu não consigo abdicar de ti , não consigo perder-te. Não quero faze-lo. Sonhei tantas vezes em ter-te, em abraçar-te, em partilhar um abraço quente nas manhãs frias de Inverno. Será que não sonhas ? Todos sonham, os amantes principalmente. E eu amo-te, amo-te com tudo o que posso e quando resvaleço sem força como hoje, procuro-as em ti . Mas é tão dificil. Tu não estás , tu não estás, tu não estás! Mas eu estou, eu estou aqui! Vê-me por favor , não sou só mais uma. Não sou. Não quero ser, e se me dizes tal coisa eu morro á tua frente.

 

As lágrimas que caiem não são de arrependimento por te amar, tu nunca as percebeste. São apenas dor por não te ter. Eu amo-te , pertenço-te, busco-te, estou, existo. E tu ? Tu apareces a cada manhã, e procuras-me quando a noite chega ? Isto não é vida, não pra mim. Eu amo-te demais para conseguir viver simplesmente com 15 minutos diarios e um telefonema á noite. Como posso afirmar que és meu se tu .. nem sei que palavras usar. Que termos por. Não passo de uma miuda , eu sei disso. Mas eu sei o que sinto, eu sei o quanto dói, o quanto magoa chorar por ti.

 

Mas o que mais sei, é que á  noite virás novamente, sem saberes que caí por nao te ter outra vez.

publicado por Lébasi às 19:23