Stá fi

Era bonito, de facto era. Eu sonhava e tu sonhavas comigo. Eu sonhei como qualquer mulher cujo amor lhe corre nas veias, e tu tentaste viver o sonho comigo. Agora percebo qual foi o nosso erro, o meu principalmente. Sonhei, idealizei, quis um futuro enquanto vivia no presente. Vi-te a desviares-te do nosso caminho, caminho esse traçado por mim desde muito cedo. Não queria seguir o caminho que outros traçaram, queria seguir o nosso, complexo, único e simplesmente nosso. Tentei que voltasses, mas tu permaneceste nele sem sentires o suficiente para poderes irradiar de felicidade. Querias que eu fosse feliz, mas esqueceste-te que eu só seria feliz com a tua felicidade. Acho que não compreendeste essa parte. Eu vivia-te, guardei o teu sabor e o calor dos teus abraços no meu coração. Bastava-me olhar-te nos olhos para saber quando mentias ou quando algo de errado se passava.

 Iludi-me, tal e qual como tu. Tentaste amar-me de novo, mas não conseguiste e eu sabia, sempre soube. Saíste do nosso caminho, não sei se foi um desvio mas sei que olho para trás e não te vejo. Sempre falámos nas pedras, mas tivemos de enfrentar mares e furacões e mantivemo-nos vivos.

 Chorei, gritei aos setes ventos o porquê de tu teres partido mas de nada me adiantou. Não consegui dormir sem a tua voz, passei 3 noites a olhar para o tecto e a pensar no que havia de ser feito. Hoje? Hoje ergo-me de novo perante ti e quem está atento aos meus passos perante a vida. Não sei o que aí vem, mas sei que serei mais forte. Não é uma questão de fraqueza, mas se pensas assim, que assim o seja. Se quiseres, sabes onde me encontrar. Agora basta, sou mais que isto. Mataste-me e eu renasci. Vou guardar-te a vida inteira, tal e qual como prometi. Parte de mim, ainda és tu.

tags: ,
sinto-me: viva
música: da weasel - tás na boa
publicado por Lébasi às 12:03