E se sabes , não me faças saber.

Se tu soubesses o que eu sei, eu não estaria aqui. Se tu soubesses que eu penso em ti quando olho para o rio Tejo enquanto passo de carro e o sol se põe. O céu fica num misto de cores imenso, começando pelo azul e terminando no roxo com umas manchas de laranja. O rio começa a reflectir a luz de algo que está por aparecer mas que só ele vê, e eu penso em ti e sorri-o para o vidro do carro como quem sabe, mas não diz. Se tu soubesses que á noite, quando o céu deixa que os olhares dos atentos o descubram eu penso em ti. Quando uma estrela cadente cai e eu penso em pedir um desejo. Se tu soubesses o quanto eu já desejei tantos momentos, tantos sonhos. Sonhar não faz mal, a sonhar somos livres. A sonhar estou contigo, estou contigo longe deitada sobre a maior nuvem que este azul a que muitos chamam céu resguarda. É branca, e confortável como se fosse uma enorme almofada recheada de algodão. Podemos observar o que está por debaixo dos nossos corpos, mas eu não penso nisso. Eu quero descobrir o que ninguém descobriu, quero ver o que ninguém vê mesmo que por isso me achem doida. Eu quero deitar-me sobre a nossa nuvem e olhar para cima, onde os planetas, as estrelas, onde tudo o que fascina está. Eu já te tinha dito, que sonhar é sonhar, e quando sonho não há limites. Se tu soubesses o quanto as tuas palavras, gestos e olhares influenciam o meu modo de agir, e de pensar. Se tu por momentos imaginasses que tens o poder de me deixares triste, mas também a essência para me fazeres sorrir com simples conversas que mais ninguém entende se não nós. Se tu soubesses que não tenho ciúmes, mas sim medo. Eu não tenho ciúmes que apareça outra mulher pela qual te deixes enfeitiçar, não tenho. Tenho medo que essa mulher me tire o que tu significas para mim. Tenho medo de acordar e um dia não poder acabar a noite a contar-te os meus gestos parvos para com os seres humanos que me rodeiam. Há tanta coisa que tu devias saber e não sabes. Eu não me importo que apareça outra mulher que não eu. Somos livres, eu e tu, tu e eu, nós. Por muito que ás vezes possas pensar que eu vou mudar para ti, não vou. Eu penso em ti quando se fazem as fogueiras no areal da praia, as labaredas vermelho vivo fazem pensar na tua força e determinação. Eu penso em ti, porque pensar em ti faz-me bem. É como chorar, há quem diga que liberta mas é isso que tu me fazes. Libertas-me da azáfoma rotineira. Não penses que estou dependente de ti, pois isso seria errado. É certo, que se um dia te fores ficarei triste, mas vivo na certeza plena que isso um dia acontecerá. A vida é constante, não acaba quando tu partires, ou então o revés. Nós estamos fora de tempo, como quando o sol se põe e a lua aparece. Mas nem por isso, eu deixo de gostar de ti. Se tu soubesses o que eu sei, não serias o segredo da minha alma. Se tu soubesses, ficarias a saber. Mas eu não digo , porque guardo o que sei . Fica entre eu e mim .
publicado por Lébasi às 16:47